domingo, 7 de junho de 2020

O lugar da literatura na sala de aula



O curso de Pedagogia realizou no dia 03/06 uma live com a Professora e escritora Márcia  Mendes, que trouxe a tona discussões  sobre lugar da Literatura infantil na sala de aula, dentro deste contexto devemos repensar o ensino da leitura como atividade e não como objeto de estudo, assim a leitura é ação, é movimento, é prazer, é sentimento, é emoção. Neste sentido a escola deve repensar suas práticas de leitura, que, muitas vezes giram em torno dos paradidático que é usado como pretexto para outras aprendizagens.
Assim, rever práticas de leitura, é pensar quais os objetivos que escola tem, então lemos para que? Para aprender, para questionar, para brincar, para se divertir, para se informar e para tantas outras coisas. Pensar em um trabalho, no qual a leitura assuma prática discursiva, dialógica e o aluno encontre e reconstrua sentido, não só com textos de literatura, como em todos os outros textos que circulam na sociedade. Que os significados construídos a partir de leituras possam permanecer em práticas cotidianas, que os alunos possam caminhar e viver os espaços de leitura com prazer, com desejo e não por obrigação.
No entorno desta discussão, o trabalho de literatura deve partir da escuta da criança, do sujeito leitor e não de perguntas pré formuladas na qual o aluno vai responder aquilo que o professor que saber, retirando a emoção que um texto de literatura pode trazer. Então, o lugar da literatura na sala de aula, é um lugar de importância para formação do sujeito leitor, daquele sujeito que se coloca no lugar dos personagens, que dialoga com situações, vivências e sentimentos escritos no texto, por isso, a literatura é mágica e ocupa uma função humanizadora.


quinta-feira, 4 de junho de 2020

Uma LIVE especial!




O trabalho com a identidade dentro da escola ocupa um papel de ressignificação dentro de uma sociedade racista. Ao pensarmos sobre essa temática, estamos não apenas repensando nossas escolas, mas, sobretudo, estamos colaborando para formação de sujeitos reflexivos, responsáveis pela construção de uma sociedade mais justa.
Nesse caminhar agradecemos a brilhante participação do Antropólogo, escritor e Babalorixá Rodney William – Doutor em Ciências Sociais (Puc/Rio) e autor do livro Apropriação Cultural.
Esse momento foi construído a partir da iniciativa dos alunos Allan Saam e Dominique Santos do 8º Semestre do curso de Pedagogia da Facemp, sob a orientação da prof. Ms Jussara A Soares.

domingo, 24 de maio de 2020

XIII Semana Acadêmica da FACEMP






Programação do curso de Pedagogia

Informamos que em atendimento ao Decreto Estadual que antecipa os feriados de São João (24 de junho) e Independência da Bahia (02 de julho), foi necessário realizar ajuste na abertura da Semana acadêmica. A abertura será quarta-feira dia 27/05,às 18 h, depois seguimos com a programação normal.

Nossa comemoração - 20 de maio








Professoras da Facemp falam ao Programa do Valente sobre o Dia do Pedagogo


As professoras do curso de Pedagogia da Facemp, Patrícia D’ávila e Rita Matos,falaram ao Programa do Valente, nesta quarta-feira, 20, em homenagem ao dia do Pedagogo. “O pedagogo é um profissional especialista em educação e não atua somente dentro da escola, nos processos ligados ao ensino e aprendizagem, ele atua também nos espaços não formais”, ressaltou a professora Rita Matos, que ainda disse existir um equívoco quando alguém fala que não irá cursar Pedagogia por não gostar de crianças, pois o campo de atuação é amplo.

Para a professora Rita, comemorar o Dia do Pedagogo é um ato de valorização. “Estamos vivendo esse contexto atípico causado pela pandemia e que trouxe grandes desafios tanto para a escola, quanto ao professor e famílias, lidando com as ações pedagógicas que as escolas estão enviando, fazendo o atendimento remoto. Nós estamos dando conta e já estamos pensando na educação pós-pandemia”, acrescentou.
Com os alunos do curso de Pedagogia da Facemp, as atividades remotas, segundo a professora Patrícia, têm sido uma troca de experiência muito interessante, mas no início houve uma certa resistência por parte dos alunos e professores.